sábado, 26 de maio de 2007

OS LIMITES DO DIABO - Caio Fábio



O Diabo é uma criatura. Uma dessas que Paulo diz que não tem poder de nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus.

No livro de Jó é tão claro como o Diabo é como o mar: forte, mas recebeu limites além dos quais não traspassará sem a permissão da Soberania de Deus.

O Senhor diz até onde ele pode ter permissão para ferir.

E os propositos de Deus sempre haverão de revelar um bem oculto atrás das ações até mesmo do Diabo.

Num mundo caído nem o Diabo sabe onde suas ações encontrarão com a Graça! No caso de Jó é tão claro que Satanás tem seu limite bem estabelecido!

Aqueles que pensam que o poder malévolo do Diabo é ilimitado, sofrem da terrível e diabólica idéia de que Satanás tem poder de fazer qualquer transgressão contra Deus, que não seja, antes, contra ele mesmo.

Contra si mesmo, Satanás, à semelhança dos humanos, pode pecar à vontade!

Quando se trata, todavia, de levar a criação ao caos, Satanás esbarra sempre na Face Soberana do Criador, que é Deus zeloso, tendo amor por todas as suas criaturas. Tratando-se de humanos que amam a Deus, mais ainda o poder maligno está limitado!

Por isto, que fique claro: Satanás não pode ir além do permitido, de acordo com o bem maior que se oculta na vida daqueles que amam a Deus (Rm 8: 28-29).

Hoje em dia, provavelmente disséssemos que Jó havia somatizado suas dores. Muitas vezes é isso que acontece. Mas há ocasiões em que os males físicos de alguém são fruto de um ataque espiritual (Lc 13:10-17). Doenças psico-somaticas podem nos fazer mais mal que aquelas feridas abertas diretamente pelo Diabo.

O Diabo tem seu limite em relação ao homem. Mas o homem não conhece limites quanto a exercer sua liberdade contra si mesmo!

Enfermidades auto-produzidas são mais letais que aquelas que resultam de ataques malignos.

O homem pode se matar!

Por isto saiba: seu pior diabo é você!

Caio Fábio

quinta-feira, 24 de maio de 2007

Citações de CS Lewis

Inauguro este tópico para que o enriqueçamos de citações deste extraordinário irlandes que após se converter ainda teve tempo de escrever tanta preciosidade antes de partir para a glória em 22/11/63.

amizade
"A Amizade é desnecessária - como a filosofia, como a arte, como o próprio universo (pois Deus não precisava criar). Ela não tem valor de sobrevivência; ela é, antes, uma das coisas que dão valor à sobrevivência."

[de Os Quatro Amores, pág. 100]

segunda-feira, 14 de maio de 2007

Sobre a vida de Débora (Jz 4)

Estive na casa de Xande sexta(11/05/07)... Uma reunião para estudar a Biblia... Ele falou sobre Débora e Baraque.
Fiquei interessada em saber mais sobre essa mulher de coragem e confiança em Deus... e aqui esta um pouco mais sobre ela.


Como juíza e profetiza (v.4), foi a mais proeminente líder feminina de Israel no AT, exercendo autoridade sobre toda a comunidade de Israel, inclusive sobre os homens.

Contexto histórico:
prosseguimento da ocupação da terra de Canaã, após a morte de Josué.

• Ordens de Deus: Dt. 7:1-6;
• Desobediência do povo: Jz. 1 e 2
• Como conseqüência, ciclos periódicos:
desobediência, nação opressora, arrependimento,
juiz libertador, período de paz, desobediência ...


• Os juízes:

• Deveriam agir com justiça, imparcialidade e coragem: Dt 1:18; 16:18-22;
• Grande autoridade: Dt 17:12,13.

Livramento da opressão cananita por Débora e Baraque
• Relato histórico: Jz. 4
• Versão poética da narrativa: Cântico de Débora - Jz. 5
• Principais personagens:
- Débora e Baraque (israelitas)
- Jabim (rei de Canaã) e Sísera (seu comandante)
- Héber (queneu) e Jael (sua esposa)
• Destaques:
a) Débora: instrui Baraque para a guerra
b) Baraque: "Só vou se você for junto..."
c) A vitória foi do Senhor
d) Assassinato de Sísera por Jael

A pessoa de Débora:

• Nome:
significa "abelha", e vemos nela as características do seu nome: industriosa, sagaz, meiga para com os amigos e ferrenha para com os inimigos.
• Profetiza:
• v.6,7- Atuava como porta-voz para a palavra de Deus. É ela quem anuncia a ordem de Deus a Baraque contra os cananeus;
• Atuava como líder espiritual:
• Jz 2:19 - deveria promover a verdadeira adoração e moralidade em Israel;
• Jz 5 - Lidera o louvor a Deus pela vitória;
• Juíza:
• v. 5 – Como mediadora de conflitos, atuava como o mais elevado tribunal de justiça de Israel, assumindo o papel de juiz nacional, tal como Moisés (Ex 18:13);
• v. 5 - desempenhava um cargo público, num ambiente público (exatamente como os homens), na região montanhosa perto de Betel (local ligado às práticas religiosas e à comunidade profética durante toda a história de Israel: I Sm 7:16; II Rs 2:3; 17:28; Am 7:10-13);
• Jz 2:18; 4:6,14 – Função política: livrar Israel de opressores estrangeiros;
• Jz 4:6,14 – Função militar: sob orientação de Deus, dirigiu os planos para a expedição militar contra os cananeus, inclusive no dia do ataque.
Não há nenhuma evidência de que ela atuou como juíza em Israel apenas por não haverem homens capacitados disponíveis.
O exemplo de Débora confirma que nem Deus nem os hebreus da antigüidade consideravam a liderança feminina intrinsecamente negativa.

sábado, 12 de maio de 2007

Crônicas semanais do Luis Fernando Verissimo

O Homem Trocado
O homem acorda da anestesia e olha em volta.
Ainda está na sala derecuperação. Há uma enfermeira do seu lado.
Ele pergunta se foi tudo bem?
- Tudo perfeito - diz a enfermeira, sorrindo.
- Eu estava com medo desta operação...
- Por quê? Não havia risco nenhum.
- Comigo, sempre há risco. Minha vida tem sido uma série de enganos...E conta que os enganos começaram com seu nascimento. Houve uma trocade bebês no berçário e ele foi criado até os dez anos por um casal deorientais, que nunca entenderam o fato de terem um filho claro com olhos redondos. Descoberto o erro, ele fora viver com seus verdadeiros pais. Ou com sua verdadeira mãe, pois o pai abandonara a mulher depois que esta nãosoubera explicar o nascimento de um bebê chinês.
- E o meu nome? Outro engano.
- Seu nome não é Lírio?
- Era para ser Lauro. Se enganaram no cartório e...Os enganos se sucediam. Na escola, vivia recebendo castigo pelo que não fazia. Fizera o vestibular com sucesso, mas não conseguira entrar na universidade. O computador se enganara, seu nome não apareceu na lista.
- Há anos que a minha conta do telefone vem com cifras incríveis. No mês passado tive que pagar mais de R$ 3 mil.
- O senhor não faz chamadas interurbanas?
- Eu não tenho telefone!Conhecera sua mulher por engano. Ela o confundira com outro. Não foram felizes.
- Por quê?
- Ela me enganava.
Fora preso por engano. Várias vezes. Recebia intimações para pagar dívidas que não fazia. Até tivera uma breve, louca alegria, quando ouvira o médico dizer:
- O senhor está desenganado. Mas também fora um engano do médico. Não era tão grave assim. Uma simples apendicite
Se você diz que a operação foi bem... A enfermeira parou de sorrir.
- Apendicite? - perguntou, hesitante.
- É. A operação era para tirar o apêndice.
- Não era para trocar de sexo?

domingo, 6 de maio de 2007

O que ando ouvindo - parte 1

Ministério Livres para Adorar - Cd “A Mensagem”
O título do cd encontra a sua justificativa em um dos seus objetivos, que é levar o Evangelho àqueles que ainda não se renderam ao amor e justiça de Cristo. Além das 9 canções que buscam exaltar ao Senhor, há também uma mensagem destinada aos corações que ainda não perceberam o quanto precisam de Deus ou que se esqueceram dessa necessidade.
Amo esse ministerio... as musicas são lindas!!

terça-feira, 1 de maio de 2007

C. S. Lewis sobre o Cristianismo: Parte I

Repostas dadas por Lewis a questões formuladas por empregados da Electric and Musical Industries Ltd., Heyes, Middlesex, Inglaterra, em 18 de abril de 1944

Pergunta: Qual das religiões do mundo confere a seus seguidores maior felicidade?

Lewis: Qual das religiões do mundo confere a seus seguidores maior felicidade? Enquanto dura, a religião da auto-adoração é a melhor.Tenho um velho conhecido já com seus 80 anos de idade, que vive uma vida de inquebrantável egoísmo e auto-adoração e é, mais ou menos, lamento dizer, um dos homens mais felizes que conheço. Do ponto de vista moral, é muito difícil. Eu não estou abordando o assunto segundo esse ponto de vista. Como vocês talvez saibam, não fui sempre cristão. Não me tornei religioso em busca da felicidade. Eu sempre soube que uma garrafa de vinho do Porto me daria isso. Se você quiser uma religião que te faça feliz, eu não recomendo o cristianismo. Tenho certeza que deve haver algum produto americano no mercado que lhe será de maior utilidade, mas não tenho como lhe ajudar nisso.

Pergunta: Os materialistas e alguns astrônomos sugerem que o sistema solar e a vida como a conhecemos foram criados por uma colisão estelar acidental. Qual é a visão cristã dessa teoria?

Lewis: Se o sistema solar foi criado por uma colisão estelar acidental, então o aparecimento da vida orgânica neste planeta foi também um acidente, e toda a evolução do Homem foi um acidente também. Se é assim, então todos nossos pensamentos atuais são meros acidentes – o subproduto acidental de um movimento de átomos. E isso é verdade para os pensamentos dos materialistas e astrônomos, como para todos nós. Mas se os pensamentos deles – isto é, do Materialismo e da Astronomia – são meros subprodutos acidentais, por que devemos considerá-los verdadeiros? Não vejo razão para acreditarmos que um acidente deva ser capaz de me proporcionar o entendimento sobre todos os outros acidentes. É como esperar que a forma acidental tomada pelo leite esparramado pelo chão, quando você deixa cair a jarra, pudesse explicar como a jarra foi feita e porque ela caiu.

C. S. Lewis sobre o Cristianismo: Parte II

Repostas dadas por Lewis a questões formuladas por empregados da Electric and Musical Industries Ltd., Heyes, Middlesex, Inglaterra, em 18 de abril de 1944

Pergunta: Fico me perguntando o quanto podemos culpar o trabalho do Demônio por alimentarmos certos desejos. Algumas pessoas têm uma forte concepção da presença do Demônio no mundo. Outras nem tanto. Ele é real como pensamos que é? Isso não preocupa certas pessoas, pois, elas não desejam ser boas, mas outras são continuamente perseguidas pelo próprio Demo.

Lewis: Nenhuma referência ao Demônio ou a demônios é feita em nenhum Credo cristão, e é bastante possível ser cristão sem acreditar neles. Eu acredito que tais seres existem, mas isso é problema meu. Supondo que eles existam, o grau de percepção humana com relação a eles varia muito. Isto é, quanto mais um homem está em poder do Demônio, menos ele estará consciente disso, da mesma forma que um homem está bem sóbrio na medida que ele reconhece que está bêbado. São as pessoas que estão completamente cônscias e tentando ser boas é que estão conscientes do Demônio. Só quando você começa se armar contra Hitler é que você percebe que seu país está cheio de agentes nazistas. É evidente que os demônios não querem que você acredite neles. Se os demônios existem, o primeiro objetivo deles é lhe aplicar um anestésico – para lhe fazer baixar a guarda. Somente se isso falhar é que você se torna consciente deles.

C. S. Lewis sobre o Cristianismo: Parte III

Repostas dadas por Lewis a questões formuladas por empregados da Electric and Musical Industries Ltd., Heyes, Middlesex, Inglaterra, em 18 de abril de 1944

Pergunta:
A Bíblia foi escrita há milhares de anos para povos num estado de desenvolvimento mental inferior ao atual. Muitas partes parecem absurdas à luz do conhecimento moderno. Em vista disso, a Bíblia não deveria ser re-escrita descartando o alegório-mitológico e re-interpretando o restante?

Lewis: Primeiramente, quanto ao estado mental dos povos antigos. Não estou certo sobre o que isso quer dizer. Se for que os povos que viveram a dez mil anos atrás não conheciam muitas das coisas que nós conhecemos hoje, eu concordo, é claro. Mas, se o que você quer dizer é que tem havido um desenvolvimento da inteligência com o passar do tempo, acredito que não haja evidência para tal afirmação. A Bíblia pode ser dividida em duas partes – o Velho e o Novo Testamento. O Velho Testamento contém elementos alegórico-mitológicos. O Novo Testamento consiste principalmente de ensinamento, não de narração: mas onde ele é narrativo, é, na minha opinião, histórico. Quanto aos aspectos mitológicos e alegóricos do Velho Testamento, eu duvido muito que sejamos sábios o bastante para nos livrarmos deles. O que se tem aqui é algo gradualmente entrando em foco. A princípio você tem, disperso nas religiões pagãs em todo o mundo – mas ainda muito vaga e mítica – a idéia de um deus que é morto e esquartejado e que depois revive. Ninguém sabe onde ele viveu ou morreu; ele não é histórico. Então, você tem o Velho Testamento. As idéias religiosas ficam um pouco mais focadas. Tudo está agora ligado a uma nação. E fica ainda mais focada à medida que a história se desenrola. Jonas e a Baleia [O Livro de Jonas] e Noé e sua Arca [Gênesis, capítulos VI-VIII] são histórias alegorio-mitológicas; mas a história da Corte do Rei David [II Samuel, capítulo II, I Reis, capítulo II] é provavelmente tão confiável quanto a história da Corte de Luiz XIV. Então, no Novo Testamento, a coisa realmente acontece. O deus a ser morto aparece realmente – como uma Pessoa histórica, vivendo num lugar e tempo definidos. Se pudéssemos filtrar todos os elementos alegóricos e mitológicos dos estágios anteriores, penso que perderíamos uma parte essencial de todo o processo. Isso é o que eu penso.

C. S. Lewis sobre o Cristianismo: Parte IV

Repostas dadas por Lewis a questões formuladas por empregados da Electric and Musical Industries Ltd., Heyes, Middlesex, Inglaterra, em 18 de abril de 1944.

Pergunta: A aplicação dos princípios cristãos daria um fim ou reduziria enormemente o progresso material e científico? Em outras palavras, é errado para um cristão ser ambicioso e lutar por progresso material?

Lewis: É mais fácil pensar num exemplo mais simples. Como a aplicação dos princípios cristãos afetaria alguém numa ilha deserta? Seria menos provável que esse cristão isolado construísse uma cabana? A resposta é “Não”. Pode chegar um momento em que o Cristianismo o diga para se preocupar menos com a cabana, isto é, se ele estiver a ponto de considerar a cabana a coisa mais importante do universo. Mas, não há nenhuma evidência de que o Cristianismo o impediria de construir um abrigo.

Ambição! Devemos ter cuidado sobre o que queremos dizer com essa palavra. Se for desejo de passar à frente de outras pessoas – que é o que eu penso que quer dizer – então, ela é uma coisa má. Se significar apenas desejo de fazer bem uma coisa, então é boa. Não é errado para um ator querer atuar tão bem quanto possível, mas desejar ter seu nome escrito com uma letra maior do que a de outros atores, isso sim é errado.

Uma voz: Tudo bem em ser General, mas se alguém tiver a ambição de ser General, então não dever ser.

Lewis: O mero evento de se tornar um General não é nem certo, nem errado em si mesmo. O que importa moralmente é sua atitude em relação a isso. O homem pode estar pensando em vencer a guerra; ele pode estar desejando em ser General porque honestamente pensa que tem um bom plano, e ficará feliz em colocá-lo em prática. Isso está ok. Mas, se ele pensa: “O que posso ganhar com esse emprego?” ou “O que devo fazer para aparecer na primeira página do Illustrated News?” então, isso é errado. O que chamamos de ambição, usualmente, significa o desejo de ser mais notável ou mais bem sucedido que outra pessoa. É o elemento competitivo que é nocivo. É perfeitamente razoável querer dançar melhor ou ter uma aparência melhor do que outros – quando você começar a perder o prazer se outros dançarem melhor que você ou tiverem uma melhor aparência, então você está indo na direção errada.

O que venho lendo - Parte 1

Resolvi compartilhar por aqui os livros que eu venho lendo. Aqui vai alguns, mas continua.


Espero que gostem e me passem dicas de livros legais que vocês andam lendo também.


A Voz profetica(Ricardo Robortella) - Clamor pelas nações

A leitura desse livro vai lentamente revelando aos nossos ouvidos espirituais o som da trombeta de Neemias, chamando-nos para mais perto uns dos outros nos muros.











A Peregrina(John Bunyan)
Continuação de o Peregrino.
A historia se inicia na Cidade da destruição, de onde Cristão partira rumo a cidade Celestial, deixando para trás sua esposa Cristiana e seus quatro filhos. Arrependida, ela resolve seguir os passos dele e, junto com os filhos, parte para encontra-lo.
Este livro é dez! essa historia serve como supremo modelo de perseverança em meio a dificuldades.










O que 147 alces me ensinaram sobre a oração

Por Philip Yancey

O autor Brennan Manning, que dirige retiros espirituais várias vezes por ano, certa vez me falou que não há uma pessoa que tenha seguido suas instruções para um retiro de silêncio que não tenha conseguido ouvir a Deus.
Intrigado e um pouco cético, eu me inscrevi para um de seus retiros, este com a duração de 5 dias. Todos os participantes se encontravam com Brennan por uma hora, diariamente, tempo em que ele nos daria algumas tarefas em meditação e trabalho espiritual. Também nos encontrávamos para o culto diário, durante o qual só Brennan falava. Fora disso, nós éramos livres para gastar nosso tempo como quiséssemos, com apenas uma exigência: duas horas de oração por dia.
Eu duvido que eu já tivesse dedicado mais de 30 minutos à oração em alguma outra ocasião, na minha vida. No primeiro dia eu perambulei por uma campina até seu limite, e me sentei no chão, com as costas apoiadas no tronco de uma árvore.
Eu tinha trazido comigo a tarefa de Brennan para o dia e um notebook para poder registrar meus pensamentos. Por quanto tempo vou me manter acordado? – eu me perguntava. Para minha grande sorte, uma manada de 147 alces (eu tive tempo suficiente para contá-los) passeava exatamente no campo em que eu estava sentado. Ver um alce já é excitante; ver 147 alces no seu habitat simplesmente nos faz cativos. Mas logo eu aprendi que observar 147 alces por duas horas é, no mínimo, entediante. Eles abaixavam as cabeças e mastigavam grama. Levantavam as cabeças simultaneamente e olhavam para uma gralha estridente. Abaixavam as cabeças novamente e mastigavam grama. Por duas horas, nada além disso aconteceu. Não houve ataque de leões da montanha; não houve confronto entre búfalos. Todos os alces se inclinavam e mastigavam grama. Depois de um tempo, a total placidez da cena começou a me afetar. Os alces não tinham se dado conta da minha presença, e eu simplesmente me introduzi no seu ambiente, assimilando o seu ritmo. Já não pensava mais no trabalho que havia deixado em casa, nos prazos de entrega me encarando, na leitura que Brennam havia me indicado. Meu corpo relaxou. No silêncio dominante, minha mente se aquietou.“Quanto mais aquietada estiver a mente”, escreveu Meister Eckhart, “mais poderosa, de mais valor, mais profunda e mais perfeita será a oração.” Um alce não tem que se trabalhar para ter uma mente aquietada; ele se satisfaz em permanecer num campo o dia inteiro com seus companheiros alces, mastigando grama. Um apaixonado não tem que se esforçar para dispensar atenção à sua amada. Eu orei pedindo, e num momento fugaz recebi – esse tipo de devoção a Deus que arrebata.Em nenhuma outra ocasião tornei a ver os alces, embora toda tarde eu procurasse por eles nos campos e floresta. Durante os dias seguintes eu disse muitas palavras a Deus e também me sentei em silêncio na sua presença. Fiz listas e muitas coisas me vieram à mente, mas não teriam vindo se, uma vez, eu não tivesse me sentado no campo por horas. A semana se tornou uma espécie de check-up espiritual que apontou caminhos para um futuro crescimento. Não houve uma voz audível. No entanto, ao final da semana eu tive que concordar com Brennan: eu ouvi Deus.Eu me tornei mais convencido que nunca que Deus encontra maneiras de se comunicar com aqueles que verdadeiramente o buscam, especialmente quando diminuímos o volume dos ruídos à nossa volta. Eu me lembro de ler o depoimento de uma pessoa que, em sua busca espiritual, interrompeu uma vida atribulada para passar alguns dias num mosteiro. “Eu espero que você tenha uma estadia abençoada”, disse o monge que mostrou ao visitante sua cela. “Se você precisar de alguma coisa, fale conosco, e nós o ensinaremos a viver sem ela.”Nós aprendemos a orar fazendo orações, e duas horas concentradas por dia me ensinaram muito. Para começar, eu preciso pensar mais em Deus do que em mim, enquanto estou orando. A própria Oração do Senhor foca primeiro naquilo que Deus quer de nós. “Santificado seja o teu nome, venha a nós o teu reino, seja feita a tua vontade” – Deus quer que desejemos essas coisas, que orientemos nossas vidas nelas.Com que freqüência eu me chego a Deus não com pedidos de um consumidor, mas simplesmente com o desejo de passar um tempo com Ele, de discernir o quê Ele quer de mim, e não vice versa? Quando eu fiz isso no campo de alces, misteriosamente descobri que a resposta às minhas orações por uma orientação girava em torno da minha pessoa, o tempo todo. Nada mudou, a não ser os meus receptores; através da oração eu os abri para Deus.Algumas pessoas chamaram a oração meditativa de um ato sem proveito, porque nós a fazemos não com o intuito de conseguir algo, mas espontaneamente, tão inútil quanto uma criança brincando. Depois de um tempo maior com Deus, minhas demandas urgentes, que pareciam tão importantes, passaram a ter um novo enfoque. Eu comecei a pedir por elas para o bem de Deus, não para o meu próprio. Embora minhas necessidades possam me levar a orar, é lá que eu chego face-a-face com minha maior necessidade: um encontro com o próprio Deus.

Traduzido por Talita A. M. Ribeiro - Christianity Today

“Mas os que esperam no Senhor renovarão as suas forças; subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; andarão, e não se fatigarão.” (Isaías 40:31)

Andar com JESUS é andar no sossego e na paz

Palavra de hoje Isaias 30:15 a 18 Em situações difíceis não busque ajuda de ninguém - a primeira pessoa q devemos buscar é Deus. ...